Barca dos Livros: montando a biblioteca na Sede

Texto de Tânia Piacentini

A Barca dos Livros, da Sociedade Amantes da Leitura, já virou uma referência entre os que lidam com literatura, leitura e formação de leitores! Foi citada num artigo, no Caderno de Cultura do Diário Catarinense [20/01/07], como “grupo de contadores de histórias”, um exemplo de iniciativa que visa “difundir a literatura como narrativa oral, devolvendo-a às crianças”. Uma bela foto feita por um dos nossos sócios em uma das viagens da Barca, na promoção do Abril com Livros de 2005, ilustrava a matéria, confirmando que também fazemos parte dos arquivos dos jornais. A citação e a foto aparecem no momento certo, quando estamos concretizando uma parte importantíssima desse nosso principal projeto, a Biblioteca Barca dos Livros.

Cabe, primeiro, a apresentação da Sociedade Amantes da Leitura: somos uma associação civil de direito privado, sem fins lucrativos e de interesse público, criada em 2003, na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, por um grupo de pessoas que reconhece a importância da leitura para o desenvolvimento individual e comunitário. Fomos reconhecidos como entidade de Utilidade Pública Municipal, pela Lei N.º 11.403 (12/07/2005), e Estadual, pela Lei N.º 13.590 (29/11/2005), em função dos objetivos que nos propusemos e dos trabalhos que já realizamos nesses poucos anos de funcionamento. Uma síntese das atividades desenvolvidas nos eventos Abril com Livros em 2005 e 2006 – palestras, debates, recitais de poesia, exposição de livros e os citados passeios na Barca dos Livros, também com contação de histórias – e nas Salas de Leitura, disponibilizando parte do nosso acervo, nas duas últimas Mostras de Cinema Infantil de Florianópolis, além de outras realizações permanentes, como as Leitura às Quintas, renderam-nos 10 páginas de relatório e o 2º lugar na 11ª edição do Concurso FNLIJ/Petrobras: Os Melhores Programas de Incentivo à Leitura para Crianças e Jovens, em setembro passado, no Rio de Janeiro.

Desde o início, nosso maior objetivo foi a criação de uma biblioteca na Lagoa da Conceição: na verdade, fundamos a Sociedade para implementar esse projeto, responsabilizando-nos pela sua execução e pelo funcionamento da biblioteca. Na fase de pré-projeto, fizemos o levantamento da realidade sócio-cultural dos diversos núcleos de moradores em toda a Bacia da Lagoa da Conceição, da situação educacional, das necessidades específicas na área do livro e da leitura.

E a idéia inicial de uma biblioteca itinerante, ao encontro do leitor, surgiu em função da topografia, das características físico-sociais da Lagoa da Conceição e da localização dos diversos núcleos de moradores, separados por morros e pela lagoa, ligados por estradas, algumas estreitas e outras congestionadas no verão. Uma situação especial, conhecida por todos, é a da Costa da Lagoa, aonde se chega por uma trilha, a pé, ou por barcas, num sistema cooperativo de transporte coletivo. Os habitantes da Lagoa, distrito ao qual pertence a Costa, costumam referir-se aos barcos da linha como “a barca da Costa”, que pára em todos os trapiches onde se concentram os moradores dos diversos pequenos núcleos. Dessa identificação surgiu a idéia de uma biblioteca itinerante — A Barca dos Livros — uma forma de ligação com o mundo da fantasia, da imaginação, da arte e do conhecimento. Uma barca que amplia os contatos entre os diferentes núcleos, pois percorrerá, quando em funcionamento regular, todas as localidades às quais se tem acesso pelas águas da Lagoa da Conceição, resgatando também uma tradição de transporte marítimo, do qual Florianópolis já fez largamente uso, no início de sua formação como vila e cidade.

O contador de histórias Sérgio Bello, durante o passeio da Barca dos Livros.

Porém, a Barca, levando e emprestando livros a leitores cadastrados, desenvolvendo outras atividades de incentivo à leitura, é a segunda ação a ser implementada: sabemos que toda embarcação precisa de um porto onde fica sediada, de onde parte e para o qual volta. Nosso porto é a agora sede da Sociedade, em terra, à beira da Lagoa, diante do trapiche número 1, junto à ponte, onde inauguramos, dia 2 de fevereiro, a Biblioteca Barca dos Livros, no primeiro andar da casa alugada. Para lá, estamos transferindo cerca de 5.000 livros novos, editados nos últimos 6 anos, patrimônio cultural que colocamos à disposição de leitores de todas as idades.

Grande parte desse acervo foi constituída como decorrência do trabalho profissional da diretora geral da entidade junto à Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil — FNLIJ (Rio de Janeiro), seção brasileira do International Board on Books for Young People — IBBY, na nova fase que teve início em 2000. Como votante convidada para os prêmios concedidos anualmente pela FNLIJ aos melhores livros para crianças e jovens editados no país, uma média de 800 exemplares é recebida das editoras e selecionada criteriosamente ao longo de todo o ano, num trabalho exercido em caráter voluntário, sem nenhuma remuneração financeira: grande parte desses livros teve a qualidade necessária para formar o núcleo inicial da nossa biblioteca. São livros de poesia e prosa de ficção — lendas, fábulas, contos, novelas, romances —, literatura, enfim, brasileira e estrangeira, para o público infantil, juvenil e adulto; livros de arte e livros informativos, de cultura geral: música, dança, cinema, teatro, biografias, filosofia, história, ciências, meio-ambiente, educação artística, educação sexual e outras áreas. A eles foram acrescentados os livros doados por sócios e amigos leitores, traçando o perfil de uma biblioteca de cultura geral, lazer e entretenimento. Sabemos que é preciso delimitar, na oferta praticamente infinita de livros, aqueles que melhor atendem aos nossos critérios de qualidade literária, editorial e cultural, sem esquecer os objetivos que queremos alcançar disponibilizando esse acervo para os leitores que se cadastrarão em nossa biblioteca, para leitura no local ou para levar o livro emprestado, para ler em casa.

Nesta época em que tanto se fala em crise da leitura, entendemos que a formação e o desenvolvimento do interesse de um leitor exige, paralela e subseqüentemente ao domínio das habilidades de ler e escrever, um permanente e renovado contato com textos escritos que estejam disponíveis sob a forma de livros, revistas, jornais, em lugares e contextos motivadores da leitura. É a biblioteca o lugar mais adequado para que o direito à convivência com os livros e outros materiais impressos seja incentivado e exercido por todo cidadão leitor, de qualquer classe social e de qualquer idade. Para a sua formação, então, o acesso à leitura literária, o encontro com o livro de literatura, é fundamental e decisivo e isto desde cedo, pois a literatura auxilia no desenvolvimento e enriquecimento afetivo, estético e ético de todas as pessoas. A importância de bibliotecas, públicas ou privadas abertas ao público, como a nossa, cumprindo sua função de difusora e facilitadora do acesso ao conhecimento da cultura escrita, precisa ser resgatada como um dos elos mais democráticos da tão reivindicada igualdade social. Um dos maiores fatores de inclusão social é, necessariamente, o acesso aos bens culturais impressos, a inclusão cultural. E é a biblioteca o espaço para que a leitura seja incorporada como uma atividade e uma prática prazerosa, livre, sem cobranças ou obrigatoriedade.

Para que isto possa ser encontrado em nossa biblioteca, estamos aprontando um espaço amplo, acolhedor e confortável que, pouco a pouco, além de receber os leitores, será o local de encontros com escritores, lançamento de livros, sessões de leitura em voz alta e serões com contadores de histórias, cursos, palestras, oficinas, debates, além das atividades de análise e avaliação de livros, pesquisas de interesses e hábitos de leitura, edição de boletins informativos, tarefas exercidas por profissionais especializados.

Queremos uma biblioteca também articuladora de política de leitura, além de espaço de cultura, lazer e entretenimento: a oferta de material de leitura, de bons livros, é essencial — mas não é suficiente para criar leitores e o hábito de leitura. É necessário também investir na valorização social da cultura letrada e na formação de mediadores de leitura, jovens e adultos, pais, bibliotecários, professores, amantes da leitura. O exemplo é o maior aliciador de leitores, uma das melhores técnicas de sedução para a prática da leitura.

Resta dizer que reconhecemos a amplidão de nosso ambicioso projeto. Estamos iniciando a etapa de abertura da biblioteca, contando com nossos poucos recursos financeiros e com o trabalho voluntário de sócios e amigos. Estamos buscando patrocinadores, autorizados pelo Ministério da Cultura a captar recursos através da Lei Rouanet (PRONAC 06 3793), mas precisamos também contar com a colaboração dos muitos simpatizantes da causa do livro e da leitura. Diversas são as formas de se tornar apoiador da Biblioteca Barca dos Livros: inscrevendo-se no Livro da Barca como doador de quantia financeira, doador de móveis e equipamentos necessários (estantes, expositores, poltronas, cadeiras, mesas, computadores e outros materiais de escritório), ou doador de horas de trabalho como voluntário na fase de catalogação dos livros e arrumação da biblioteca. A parceria com a Biblioshop, empresa especializada em bibliotecas e o trabalho voluntário de uma bibliotecária nos permitiu iniciar este serviço que agora se torna prioritário, necessitando de um mutirão para que possamos fazer o empréstimo dos livros o mais cedo possível. A partir do dia 2 de fevereiro, somente podemos propiciar a leitura no local, com a biblioteca “em construção”.

E, por último, informamos que sublocamos parte do nosso andar térreo para o Rosen Café, que reabriu na mesma data, com a mesma qualidade e aconchego com que sempre acolheu seus clientes e as atividades da Sociedade Amantes da Leitura, enquanto não tínhamos um local aberto ao público. Agora, o Rosen compartilha espaço com nossa sala-escritório-palco de eventos, porque café, livros e leitura combinam muito bem.

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Barca dos Livros

A Barca dos Livros é uma biblioteca comunitária, mantida pela Sociedade Amantes da Leitura, com sede na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, que defende a importância da leitura para o desenvolvimento comunitário e individual. Desde o ano de 2009 é reconhecida como Ponto de Cultura. Tem como missão facilitar o acesso ao livro e à leitura através do atendimento diário e gratuito à comunidade, promovendo a formação de leitores e de mediadores de leitura. Funcionamento: Terça-feira a sábado, das 14h às 19h. Telefone: 48 3879.3208 Contribua com a Barca dos Livros! Banco do Brasil, Ag. 3185-2 – CC 13.058-3. CNPJ 06 022 478/0001-07. Beneficiário Sociedade Amantes da Leitura.
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s